sexta-feira, 10 de dezembro de 2010

Quase...

Um bom final de semana, com um suspiro ao final do texto...


Quase

Ainda pior que a convicção do não,é a incerteza do talvez,é a desilusão de um quase!
É o quase que me incomoda,que me entristece, que me mata trazendo tudo que poderia ter sido e não foi.
Quem quase ganhou ainda joga, quem quase passou ainda estuda, quem quase amou não amou. 

Basta pensar nas oportunidades que escaparam pelos dedos, nas chances que se perdem por medo,
nas idéias que nunca sairão do papel por essa maldita mania de viver no outono. 

Pergunto-me, às vezes, o que nos leva a escolher uma vida morna?
A resposta eu sei de cor, está estampada na distância e na frieza dos sorrisos, na frouxidão dos abraços,
na indiferença dos "bom dia", quase que sussurrados. Sobra covardia e falta coragem até para ser feliz.

A paixão queima,o amor enlouquece,o desejo trai. Talvez esses fossem bons motivos para decidir entre a alegria e a dor.
Mas não são. Se a virtude estivesse mesmo no meio-termo, o mar não teria ondas,
os dias seriam nublados e o arco-íris em tons de cinza. 

O nada não ilumina, não inspira, não aflige nem acalma, apenas amplia o vazio que cada um traz dentro de si. 

Preferir a derrota prévia à dúvida da vitória é desperdiçar a oportunidade de merecer.
Para os erros há perdão, para os fracassos, chance, para os amores impossíveis, tempo.
De nada adianta cercar um coração vazio ou economizar alma.
Um romance cujo fim é instantâneo ou indolor não é romance.
Não deixe que a saudade sufoque, que a rotina acomode, que o medo impeça de tentar.
Desconfie do destino e acredite em você. Gaste mais horas realizando que sonhando...
Fazendo que planejando... Vivendo que esperando...
Porque, embora quem quase morre esteja vivo, quem quase vive já morreu

xoxo

domingo, 5 de dezembro de 2010

Apaixone-se por você

Porra, mais um texto sobre amor próprio e auto-estima?
SSIIIIIMMMMMMM! Porque tem pessoas que não entendem a força e capacidade de transformação que amar a si mesmo tem.

Por que será que é TÃO difiícil entender que AMAR A SI MESMO antes de amar outro ser humano é PRIMORDIAL????
Não é egoísmo se amar! Não é presunção, não é feio, pecado ou qualquer outra coisa.
Não é egocentrismo se cuidar, pensar em si, não entregar o coração a qualquer um... não é anormal lutar por SI e não pelos outros.

Por favor gente... cuidem de seus corações... daqui a pouco vai ser tarde e ele pode estar muito cansado pra continuar batendo forte por alguém, só porque algum babaca te fez sofrer - e TU deixou!

Por favor, não deixem que outras pessoas, por idiotice, caretice ou qualquer outra "ice" ditem o rumo do relacionamento que tu quer ter e que só diz respeito a ti e à outra parte: ninguém pode se meter quando duas pessoas querem ficar juntas; ninguém tem o direito de se opor ou não...não cabe a ninguém julgar. Amigos desejam a felicidade do outro. E se essa tal felicidade é estar junto de alguém, que assim seja!

Eu penso muito em tudo que acontece com as minhas amigas. Me dói, como se fosse comigo.
Eu tenho vontade de pular no pescoço de algumas pessoas, e ás vezes chego a rezar pedindo que elas falem comigo espontaneamente, mesmo sem nos conhecermos oficialmente, para que eu possa dizer o quanto essa pessoa é imbecil e pueril por brincar com corações alheios. Confuso? Complicado?
Aah...Vai a puta que o pariu... Pára de fingir que está tudo bem, assume também a fragilidade alheia e não tortura alguém que te tem apreço. Age como homem. Adulto...

Eu fico louca com isso.
A raiva sobre e explode na minha cabeça de uma forma que chega a doer.
Eu nada tenho a ver com isso. E nada vou fazer a respeito além de expressar minha indignação e minha súplica: te apaixona por ti mesmo, vivente. Te curte, te ama, te mima.

Quam sabe assim todo o amor que queres, vais conseguir. Pois se atraimos semelhantes e energia que emanamos, logo, manda amor pro mundo.

E dai aos idiotas o que são dos idiotas: silêncio.

Ou um "aham" também serve!

xoxo


quarta-feira, 10 de novembro de 2010

Don't blame me...

Não me culpa por ficar de cara...

Não me culpa por ficar quieta quando eu sei que tu esperas que eu grite contigo te dizendo as mesmas coisas que eu já te falei mil vezes... Porque cansa, e na verdade eu não tenho que me meter em coisas que não me dizem respeito diretamente.

Não me culpa também por achar tudo isso uma palhaçada ridícula, um jogo de interesses, uma procura desesperada por algo que não sabes o que é... o problema não está nele, está em ti que aceita ser menos do que tu é. Aceita migalhas.

Chorar no canto, abraçada aos joelhos, depois de ter matado a saudade é pouco saudável... então assume os riscos e continua com tudo, com o nariz e a cabeça de pé.
Se é pra fazer, não sofre depois. Se tu está sofrendo, tem alguma coisa muito errada nisso tudo...

Não me culpa pela amizade passional que eu tenho. Eu sou passional, feminista e corporativista (como diz a Helen). Eu me machuco pelas minhas amigas. Dói em mim ver corações preciosos serem quebrados e pisoteados por pessoas completamente idiotas... e o pior é que é consensual...

Não me culpa por ficar quieta...porque o máximo de resposta que tu vai ter é essa aqui do blog.
Não vamos conversar sobre isso mais.
Não vou mais te dizer o que eu já te disse que EU acho, porque no fundo, o que EU acho não importa, importa é o que TU acha...e são diferentes as opiniões.

Então, seja feliz.
É só o que o meu coração de amiga te pede!
Seja FELIZ de verdade, não por meia hora.
Seja feliz completa, não por momentos.
Tenha prazer real, não só um 'pouquinho'.

Quando tu for feliz de verdade, vai derramar lágrimas de satisfação, e não de dor e arrependimento.

E de uma forma ou outra, eu vou estar logo ali se tu precisar... só não me pede pra ser calma e educada. Não tenho vocação pra beata, não sou polida, sou mal educada... Mas amo tu, e vou estar aqui...

xoxo

domingo, 7 de novembro de 2010

Iansã, Yemanjá, chama Xangô e Oxóssi também...
Manda descer pra ver os filhos de Gandhi...

Porque eu acredito...

Boa semana!!!!

xoxo

quinta-feira, 4 de novembro de 2010

Reflexão

Eu fiz 29 anos de idade no domingo e ganhei de presente (de grego) uma presidente mulher, uma cólica de menstruação e uma tremenda dor de cabeça; fora o cansaço tradicional que eu, como a mulherzinha lá de cima do blog, equilibro vida profssional com pessoal com maternidade com familiar...

Refleti horroes sobre tudo que se passou e em como eu mudei nos últimos 29 anos.

E constatei a coisa mais óbvia, clichê e ridícula de todas: nós evelhecemos mesmo. A cabeça envelhece. O corpinho envelhece. Não tô um bagaço a ponto de fazer lipo e pra quem acabou de ter um bebê enoooorme, estou até bem em forma... (se pêra for considerada uma forma!!!)
Mas me sinto muito mais mulher.

Acho que estou começando, precocemente, a sentir os efeitos da proximidade da era balzaca da minha vida...entrei na reta dos 30 anos. E ainda ontem eu fiz 21...

Me sinto bem. Me sinto leve. Com algumas missões cumpridas e outras tantas pra cumprir - acabei de ter filho, veja bem... Sinto o peso da responsabilidade de dar educação para alguém, sendo que eu mesma, por ainda várias vezes, preciso ter mais educação.

Como eu posso ser exemplo de algo tão inconcreto pra mim????

Será que ser mãe é entrar no eterno paradigma do "faz o que eu digo e não faça o que eu faço?" Pq eu faço a Laís comer frutas e legumes e eu os o-de-io com força...

Refleti sobre aspectos presos em mim. Refleti sobre como foi e como é minha vida. Planejei, sonhei, viajei... me senti leve depois de receber carinho das pessoas que eu amo e que foram, até o litoral, comer um churras comigo. Nem todas estavam lá, mas às que estavam, meu muito obrigada!

E conclui que eu sou um mulherão com 29 anos. Que eu me amo com tudo dentro e fora do lugar que eu tenho no corpo e na cabeça. Que minhas olheiras são sinais claros de muittaaaaasss festas e excelentes momentos que só eu tive; e que fazem parte da minha história tantas pessoas legais e tantas viagens e coisas legais que eu só tenho a agradecer.

Eu já rodei pelo mundo e o mundo vive em mim, em cada pedacinho de história e em cada amigo feito longe, como preciosos souvenirs. Hoje, ou daqui a 29 anos, eu ainda serei grata pelos bons momentos e pela vida que fui abençoada em ter.

Eu agradeço por ser quem eu sou. Esse é o meu melhor presente!

xoxo

quarta-feira, 27 de outubro de 2010

Puta, cara...eu odeio bege.
E odeio "meios", "quases", "mornos"... afffe...

Fico de cara com essas coisas... por que no meu mundo cor-de-rosa berrante não existe espaço pra coisas mornas, tons pastel, meia-boca, quase cheio...

Por que eu gosto de coisas exageradas, de cor multicoloridas, de dourado e exagero, de psicodélico, de decorações inebriantes que te deixam meio zonzo...de tempestades, de cheiros fortes e de gostos apimentados.

Porque as pessoas da minha vida são todas picantes, não sem sal. Não tenho amigas sem graça. Minha vida não é sem graça, meu trabalho não é sem graça e eu, definitivamente, não sou sem graça - veja bem, posso ser feia, mas morna, nunca!

Posso não estar no hip da onda, no topo do mundo dos outros, mas no meu mundo, eu sou a rainha soberana dos delírios malucos, dos devaneios lógicos e exageros nada controlados. Porque quando quero falar,eu grito. E se eu falar baixo, bem, vem vento forte por aí.

Eparriê.

Porque coisas mansas me deixam aflita. Aaaaiii que ânsia...fala logo porra!
Aja. Não fique pensando 1000 vezes... Quem pensa não casa e, veja bem (2), eu sou casada pela segunda vez...hehehe

Hoje acordei prolixa e extremamente eloquente. Chata pra caralho, com o cérebro borbulhando. Estou atropelando as palavras porque minha boca não acompanha meus pensamentos.

xoxo


terça-feira, 19 de outubro de 2010

ele e eu...

Foi amor à primeira vista...

Nos conhecemos em um bar bacana, assim, como todo o amor deveria começar.

Ele me olhou e me ganhou de cara... tentei me fazer, tentei não gostar do sabor que me descia pela garganta quando salivava olhando pra ele, mas não teve jeito... me ganhou de cara mesmo...

Ao longo do tempo vivemos uma intensa, cara e rebelde paixão. Passávamos noites e noites juntos, lado a lado, na loucura que nos cercava.

Íamos juntos a todos os lugares e compatilhávamos as festas, os beijos, os gostos, o sexo... Nos tornamos cumplices das mais loucas aventuras e, sempre que eu titubeava, era ele que me encorajava a seguir em frente e me jogar do precipício que eu me dispunha a visitar, frequentemente, todas as noites.

Com o tempo, viciei nele e naquele cheiro que me deixava bêbada de amor.

Não podia mais viver longe dele. Ele era necessário à minha sobrevivência, à minha felicidade...
As pessoas não me reconheciam sem ele...ele fazia parte de mim.

Foi quando, um dia, o encanto se quebrou. Me percebi dependente dele. Viciada. Inebriada de paixão desenfreada. Enlouquecida de amor.

O sentimento era tão forte que virou doença: não fazia nada sem ele, vivia pra ele e com ele, eu não era eu mesma sem ele...

Foi então que decidi terminar essa relação... pois quando um amor com toda essa intensidade não nos deixa viver, não nos deixa dormir e nos torna dependentes, é melhor deixar de lado o quanto antes...

Não foi fácil terminar tudo. Sofri, Chorei (...tanto que nem sei...). Tive crises, tremia, suava... Mas persisti na busca pela minha independência, através dos delírios e devaneios que tinha diariamente quando fechava os olhos...

Hoje sou feliz sem ele. Depois de tanto tempo juntos, depois de tantos momentos maravilhosos que me causavam aquele brilho inconfundível no olhar, é melhor pra mim estar longe dele.

As vezes nossos olhares se cruzam, despretensiosos. Ele pisca, eu me faço de desentendida... Apago a luz da sala e finjo que ele não está lá, soberano, em cima da minha estante da sala, enfeitando com sua cor madeira e seu rótulo inegável os passos que eu não hei de dar ao seu lado...

Querido Johnny, vc é passado...

Xoxo

quinta-feira, 14 de outubro de 2010

Das rugas que eu não quero ter...

Um belo dia acordamos e vemos o que não queremos: ali, ao lado dos olhos, a marca das risadas histéricas ao longo dos anos: dois pés de galinha, um de cada lado da nossa cara, a marcar os olhos em um sinal irrevogável de que estamos, inevitavelmente, ficando velhas.

Um belo dia acordamos e nos damos de conta de que nossos amigos não são mais os mesmos, de que temos idade demais (ou não temos, depende pra fazer o quê), de que somos adultos, de que temos filhos... de que nossos joelhos doem, nossas costas doem, nossos peitos cairam  e aquela calça skinny maraaaaaavilhosa...está apertada.

Então buscamos desesperados por nós nas academias e nas fotos antigas, lembrando das festas com nostalgia e querendo nos sentir mais jovens, mas a verdade é que sabemos, lá no fundo, que o tempo não volta e blá blá blá clichê tradicional...

Hoje foi um desses (belos) dias. Não tenho mais 18 anos. Meus joelhos doem (Ô, se doem...). Já sou mãe. Já tenho rugas, de rir, graças a Deus, mas ainda assim são rugas... Minhas amigas não são as mesmas de 10 anos atrás (com raras e boas exceções...).

Me senti meio perdida em minha própria história, meio sem referência, porque de repente me vi longe daquilo que eu ainda acreditava que era meu, pelo menos um pouquinho.
Eu sei que não é. E que talvez nunca tenha sido.
Não trabalho bem com perdas, sou muito possessiva, dominadora. Eu tenho que largar, não ser forçada a deixar pra trás. Custo a admitir a derrota. Não sofro, longe de mim, mas fica aquela sensação de ter que reconquistar só pra largar...

Foram poucas as pessoas que largaram de mim, por que eu sou muito intensa ou por que sou muito louca pra aguentar...e é justamente dessas que hoje me deu saudade.

E hoje também me deu saudade da energia que eu tinha com 20 e poucos e que me falta hoje. Ah, bons tempos em que um casamento ao ar livre não me dava crise de sinusite.

Me deu saudade de mim, de algumas pessoas e da minha cara sem rugas.

É, tô velha!
Em forma...mas velha!!!

xoxo

sábado, 2 de outubro de 2010

terça-feira, 28 de setembro de 2010

hum...cansei!

Ai, cansei sabe?

É...cansei de escutar, de ser sempre legal, de dar conselhos...
Cansei de ser saco de pancadas, de ser forte, de ser bruta, de ser "macho"
Cansei de ser EU, cansei de ser as outras 06 que sou (sim, pq sou 07...)
A mãe-mulher-amiga-filha-profissional-estudante-irmã...
Cansei de ter sempre uma palavra legal pra dizer, um abraço pra dar, uma alegria a espalhar
Cansei de dar risadas pros outros enquanto eu quero é ficar séria
Cansei de trabalhar com gente que eu não gosto...e ter que fingir que aturo...affffeee!

...

Estou cansada de estar cansada...

...

Acho que estou entrando na TPM...

xoxo

A Reka não gosta de bichos gordos que se acham...affee!!!

terça-feira, 21 de setembro de 2010

Balada de segunda...

Quando a lua apareceu

Ninguém sonhava mais do que eu
Já era tarde
Mas a noite é uma criança distraída
Depois que eu envelhecer
Ninguém precisa mais me dizer
Como é estranho ser humano
Nessas horas de partida
É o fim da picada
Depois da estrada começa
Uma grande avenida
No fim da avenida
Existe uma chance, uma sorte
Uma nova saída
São coisas da vida
E a gente se olha, e não sabe
Se vai ou se fica
Qual é a moral?
Qual vai ser o final
Dessa história?
Eu não tenho nada pra dizer
Por isso eu digo
Que eu não tenho muito o que perder
Por isso jogo
Eu não tenho hora pra morrer
Por isso sonho

xoxo

sábado, 18 de setembro de 2010

Sofrer ou não sofrer - eis a questão...

Eu acho que amar é, inevitavelmente, sofrer.

Não, não sou nenhuma mártir e não pretendo passar por vítima, mas acredito que toda a doação a um relacionamento, todo esforço para "dar certo", todo tempo perdido - ou ganho - são sinais evidentes de sofrimento. Todo ser humano gosta de sofrer por algo, afinal, nada sem esforço tem muita graça por muito tempo.

Baseada nas últimas conversas com pessoas especiais, as quais, todas sem excessão, me relataram desventuras amorosas, bati o martelo em um dos meus mais antigos devaneios: não existe amor sem dor.

Ninguém quer sofrer por amor, nem eu, óbvio, mas alguém já ouviu falar em uma relação 100% feliz PROS DOIS LADOS???

Eu não.

Tem sempre alguém que se doa mais. Que chora mais, que sofre mais. COM ou SEM razão, causa ou motivo. Porque pra dar certo, alguém tem que baixar a guarda e ceder. E essa pessoa sempre acaba sofrendo mais. Sofre condicionalmente; sofre por que quer também. Mas sofre.
Todo mundo que ama sofre.

Nunca vi namoro-amizade-casamento que rolasse por anos sem nenhum estresse. Agora eu escuto, da boca de pessoas que dizem saber tanto, mas que na verdade não sabem nada, que relacionamentos tem que fazer só feliz e quando causa dor tem que acabar...

Meu deus, eu queria MUITO me envolver com alguém que nunca me magoasse, nunca me dissesse nada pra me machucar e me fizesse sentir feliz 100% do tempo. Que me compreendesse e me deixasse quieta quando eu não quero falar... Mas isso simplesmente não existe.
Eu tenho alguém que me ama. E ama mesmo, não de mentira mas sim de uma verdade tão intensa que explode comigo; e por vezes me machuca querendo me afagar.

Porque amor de verdade queima... não joga água....
Porque na intensidade de um amor profundo dizemos coisas que não queremos (ou querendo e se arrependendo depois), pensamos mil vezes em desistir e adoramos fazer as pazes.

Porque sofrer pór amor ás vezes é melhor que amar em si.

Querer amor sem brigas é querer um amor sem luta. E, what easy comes, easy goes...

Amar é, inevitavelmente sofrer. E sofrer por amor é amar sofrer por amor. Ninguém sofre porque ama de menos. Sofremos porque amamos muito, e queremos tudo, e somos tudo dentro de uma pessoa só, explodindo com tantos sentimentos que não cabe em nós... Queremos coisas demais as vezes. Idealizamos coisas irreais. Falsas expectativas geram ainda mais sofrimento...

Quando eu amo, eu amo muito...
Quando eu odeio, eu amo odiar...
Quando eu sofro por amor, eu amo sofrer por amor...

sexta-feira, 17 de setembro de 2010

Meus direitos!!!!!!!!



Pelo direito de não ver coisas que agridem os olhos...
pelo direito de falar apenas quando tem vontade...
Pelo direito de ouvir apenas o que interessa...

quarta-feira, 8 de setembro de 2010

Diálogos sobre a saudade...

Amiga 01:
ReKa diz:

do que tu tem saudade?


A01 diz:
no momento?
do Pinguim
=/
e de mim
pq eu tô muito chata

 
Amiga 02:
ReKa diz:

do que tu tem saudade?

A02 diz:
do blog

ReKa diz:
não, não é sobre a postagem
é uma pergunta curiosa


A02 diz:
huahauhauha


ReKa diz:
quero comparar as respostas de algumas pessoas e escrever sobre isso


A02 diz:
de ser criança
porque serááááááá!??!??!?!
hahahahaha
é fato
hj eu to bem, mas sofro da sindrome de peter pan
é fato...
 
 
Amiga 03:
 ReKa diz:

do que tu tem saudade?


A03 diz:
como assim!?


ReKa diz:
me diz, a primeira coisa que tu sente
do que tu tem saudade?


A04 diz:
é estranhho, mas varias vezes "sinto saudades" das coisas que eu nao tive...

.........................................................................................................................................................
Eu tenho saudade de mim...eu tenho saudade de mim quando criança e tenho saudade das coisas que eu não tive...
Tenho saudade de certos perfumes...de certos gostos...de certos lugares...de certos olhares...
De risadas...
De virar cambalhota
De me sujar de lama por diversão
De comer bergamota embaixo de uma árvore no sol
De ficar amorgadinha em dia de chuva...

E vc... Do que você sente saudade?

Xoxo

quinta-feira, 2 de setembro de 2010

Haja...

Mãe que trabalha é foda...

A gente tenta se virar em 30, mas a verdade é que não somos super mulheres imbatíveis...

Hoje, em conversa com a minha psico-amiga Carla, debatemos sobre esse assunto: até quando vamos nos considerar "super-mulheres" e não deixar nossos amigos-namorados-maridos-pai-do-nosso-filho ajudar?????

Por que somos melhores que eles, ué!

Por quê somos melhores que eles??? Nós somos!?

Eu admiro a capacidade de abstração que os homens tem... eles simplesmente conseguem não se envolver com tudo que os cerca...temos que chamá-los, envolvê-los, questioná-los, para conseguir despertar uma centelha de interesse e ajuda com
compaixão....

Haja amor! Haja amor!

Eu estou surtando desde que voltei a trabalhar. Não por ela...Laís está bem, saudável,  feliz e ama a creche... Mas por mim, que me tornei dependente daquele serzinho gostoso e dos seus sorrisos para esboçar os meus...

Mas pelo meu bem, pelo bem dela, e pelo bem do meu casamento, as coisas vão continuar assim: minha cabeça no trabalho...meu coração com a pequena...

xoxo

quinta-feira, 26 de agosto de 2010

Eu quero! Eu quero!!!



AAAAAHHH surtei quando eu vi! Eu quero muito!!


Tá,o sutiã é bizarro...mas é engraçado!



Amei!!! É rosaaa!


Leque da Louis Viton? Must have!


Ai que tudo!

Jukebox na sala... meu sonho antigo!


Eu pensei que era do Bowie (ia ser mais legal!)...mas do Patt ta valendo...

Ooooiiimmm....que coisa mais fofa!

PERFEITO!

terça-feira, 24 de agosto de 2010

Felicidades pra ti, Gi!

Ontem, quando eu abri o orkut, vi um convite de uma pessoa que eu não reconheci de cara.

A vida é mesmo assim, quando a gente acha que ela passou, ela faz o mundo girar e tudo voltar ao ponto neutro...

Quando abri o álbum de casamento, reconheci uma amiga que não vejo a 03 anos. Veja bem, ela era minha amiga, mas por conta dessas coisas que só explicamos bem depois, nos afastamos.

Ela achava meu jeito errado. Eu me achava certa demais pra ceder... foi cada uma prum lado. Perdemos o contato. Perdemos o vínculo.

Eu senti saudade dela em vários momentos nos últimos anos: meu casamento, a notícia da minha gravidez, as vezes que eu precisei chorar... mas, se a vida fez com que ficássemos longe, a vida sabe o que faz. Ninguém duvida da vida.

Enfim, quando abri o orkut ontem, meu coração bateu mais forte ao reconhecê-la. E eu chorei.
Chorei por que eu sei o quão especial ela é. Chorei por que apesar da distância, eu sei que ela merece ser feliz. Chorei de saudade. Chorei de rir, de nervosa. Chorei por que sei lá... fiquei feliz por ela!

Dessas coisas que não explicamos, as vezes sentimos saudade. Sentimos saudade das risadas. Até dos momentos que poderiam ter sido. Sentimos saudade dos jargões... Sentimos saudade das brincadeiras idiotas e sem sentido...

Bem, eu desejo muitas felicidades pra ti, Gi. Muita saúde, muita paz, muito amor, por que tu merece cada pedacinho de coisa boa que chegar pra ti. Tu mora no meu coração e, apesar da distância, eu rezo por ti e pela tua felicidade sempre. E desde sempre...

Xoxo

sexta-feira, 13 de agosto de 2010

Eu sinto cócegas...chego a me retorcer.

E sinto uma raiva do mundo tão intensa que dói, mas que em geral não dura mais que 03 minutos

Me olho no espelho e vejo várias coisas que eu mudaria... meus peitos deveriam ser maiores, minha bunda também...meu nariz menor, eu queria ser mais magra... Mas daí me dou conta que a mulher que eu quero ser não existe e então...eu acabo me gostando assim mesmo

Eu me sinto cansada da vida... não só fisicamente, mas também emocionalmente... Mas isso também não dura mais que 03 minutos...Daí fico hiperativa e saio correndo...o que me deixa mais cansada... círculo vicioso...

Ás vezes sinto as borboletas do meu estômago infartarem de emoção, quando em certos momentos os olhares se cruzam... mas daí logo o “momento” passa e eu acabo achando que só eu senti...e esqueço

Raramente, quando olhos doces cruzam com os meus, minhas bochechas ficam vermelhas... logo eu, que sempre tenho resposta pra tudo, me calo de constrangimento...adorando a sensação...

Eu odeio que me elogiem, apesar de saber que eu mereço cada elogio atribuído a mim. E, no fundo, quanto mais me rasgam, mais eu acabo gostando. É, eu gosto de elogios sim...

Na mediocridade do presente buscamos a melancolia do passado...e ele é sempre mais gostoso, saboroso e interessante que o presente... o futuro não pertence a ngm...

O vento ta uivando na minha janela. As folhas verdes das arvores balançam lá fora. As flores acabam perdendo as pétalas... um pedacinho de mim voa junto com elas...

O demônio do meu peito hoje tá rugindo alto... o deus que me habita tá calado, pensando...
Não chega a nenhuma conclusão...

quarta-feira, 11 de agosto de 2010

...E hoje pela manhã, olhando o Bom Dia Brasil e o "acordo de paz" entre Venezuela e Colômbia, escuto a seguinte pérola:

- Eu queria ser presidente do Brasil!
- Haha, imagina, se tu já é corneteiro* desse jeito, imagina com poder!
- Eu seria igual ao Hugo Chávez... haushaushaushuasha - Acabaria com a "plim-plim", teria só uma emissora pra transmitir o que eu quisesse e seria mais inconveniente do que ele...
- Impossível... Ngm é mais inconveniente...
- Eu seria... mas seria bem mais bonito!
ahsuahsuash

*Corneteiro: pessoa que corneteia / "Pedro Dilara" / Sempre tocando corneta nas opniões alheias/ Chatio de galochas e sem galochas/

Xoxo

segunda-feira, 9 de agosto de 2010

Pelo direito...

...ao surto: EU SURTO SIM... e foda-se quem se controla 24x7...Tô mega cansada de fazer pose de senhora bonita quando por dentro o que eu quero é TODO MUNDO se FODA!

...ao grito: EU QUERO GRITAR... Porque é tão difícil as pessoas entenderem que os outros tem sentimentos, vontades, quereres tb?!

...de ficar quieta: Porque é tão dificil as pessoas entenderem que se te deixar quieta, daqui 30 minutos a crise passa e se persistirem na chateação, a crise só aumenta????

...de ter crises: crise de estupidez, crise de choro, crise de riso, crise de carência...toda a crise é bem vinda!

...de ganhar colo: eu quero só um colo vez ou outra... sem muitas perguntas, sem questionamentos, sem complicações...só um colinho, quentinho...

...de retrucar: uma boa discussão faz meu dia brilhar de alegria...

...de ser eu mesma: ai,ai... como é bom ser transparente...

...de ser sincera: Aaaaaaiii como é bom..

Estou num dia cheia de coisas pra pensar... e não quero pensar em nada!

Xoxo

quinta-feira, 5 de agosto de 2010

Mulher Cebola

Pois com o frio que faz por aqui, só botando mesmo várias camadas de roupa pra aguentar...

Daí é aquele festival de meia sobre meia-calça embaixo de calça...mais blusa sobre outra blusa...E pra tirar tudo depois!!? Ô inferno!

Banho? Haja coragem!!!

Daí o cara tira toda a roupa e...o chuveiro não esquenta...a estufa não funciona...a toalha, que ficou no banheiro, tá úmida... Eita desgraça viu!

Em dias como hoje, a vontade é de nem levantar da cama... frio, chuva, vento...início de mês, no período limbo entre o pagamento e a explosão das dívidas... sem dinheiro nem pra respirar perto dos lugares... e a gente pensando copiosamente naquela pizza de presunto parma e naquele vinho bem tinto... olha a geladeira e só vê pão, leite e um queijo de aspecto duvidoso...

O jeito é se consolar, respirar e fazer um café bem forte...

Aaaah o verão... que saudade!

xoxo

sábado, 24 de julho de 2010

No momento...

"...Não sei mais o que eu faço... eu já fumei 10 maços... mandei tudo pro espaço...
Agora eu só quero é paaaaaaz!!!!"

Éhm... De volta a ativa em 48h.

Surtando a 30 dias já...

xoxo

quarta-feira, 30 de junho de 2010

Contagem...

Estou a 27 dias de voltar a trabalhar...
Surtando já!
Fuck...

segunda-feira, 28 de junho de 2010

Poetando...

Lá fora faz mais calor que aqui dentro...
Isso não faz muito sentido, mas o ar está gelado, muito gelado por aqui...

...Deitei em seu peito e ouvi as batidas cardíacas... Aparentemente ele tem um coração...

Corre um ventinho gelado e me bate bem na nuca, arrepiando tudo da cintura pra cima... me enrosco um pouco no cobertor...uma lágrima quente e salgada atravessa meu rosto. Durmo.

O barulho do vento na janela me dá vontade de voar. Lá fora, tudo cinza, gris e azul marinho.

Aqui dentro tudo passa batido. Dentro de casa o tempo passa sem eu ver. Dentro do peito, o tempo meio que parou

Onde foi parar aquele olhar que me congelava? Ah,sim... achei meu espelho...

Quando piso no chão do quarto, pequena quantidade de pó se solta sob meus pés... e o teto...olho pro teto e só vejo ganchos vazios de antigos pendentes...

Um cabo branco atravessa o teto

Um pensamento idiota atravessa minha cabeça

Um vazio imenso preenche meu coração

Pego no sono pensando se amanhã vai fazer sol...

quarta-feira, 23 de junho de 2010

Kd eu?!

"Para um gênio nada é mais honroso que o desprezo de um mundo idiota"

Bem, depois que se tem filhos notamos as diferenças nas mais diversas situações... e não, não vou postar mais uma declaração de amor pela Laís, pois não tem amor que possa ser transcrito, mas vou dizer que estou buscando resgatar minha individualidade.

Não sei bem aonde fui parar depois que engravidei. De repente, sou a mãe de alguém, a mulher de um, a filha de uns, a amiga de vários... e hoje pela manhã quando me olhei no espelho pensando em todas as mil coisas a fazer até o meio-dia, me perguntei internamente: cadê eu!?

Onde é que eu fui parar?

Parece uma animação bizarra, mas a verdade é que nessea busca que eu estou fazendo, estou encontrando uma Renata que eu não via a algum tempo. Uma Renata chata demais que eu amo, uma Renata insuportavelmente debochada, até má as vezes.

Eu prometi a algum tempo atrás não ouvir o diabinho. Mas o papel de mãe desabrochou todo meu instinto leoa-protetora e, de uma forma que eu ainda não entendi, trouxe das minhas profundezas todo o sarcasmo, o desprezo pelo mundo, o deboche e a falta de educação que eu estava acostumada a ter como comportamento padrão.

Vou pegar pequenas porções de cada coisa e fazer um interessante milk shake de intenções.

E não vou mais ter pena de destilar meu veneno, enquanto corações estão sendo quebrados como vidros de R$1,99... vou (re)começar a falar o que penso - quando der na telha!


xoxo

sexta-feira, 18 de junho de 2010

Estou meio sem tempo de amarrar os cadarços que unem a minha vida... ela tá assim, meio desamarrada!

Tem várias coisas acontecendo, dentro de fora de mim, mas por enquanto vou apenas dizer... ah,não vou dizer nada não!

Daqui  pouco mais de 01 mês minha vida volta ao normal: trabalho, facul, blá blá blá...e mais uma minhoquinha inserida no contexto esfuziante e borbulhante de minha existência. Tô empolgada!

Tô com saudade de trabalhar...

Tô feliz... e duas coisas acontecem quando eu fico feliz:

A primeira: eu grito pra todo mundo ouvir "Vão se fuder!"
A segunda: eu fico insuportavelmente sarcástica, proporcional à minha felicidade... e olha que eu estou bem feliz!

Saudações, senhores: Mrs. Lemon voltou à cena!

xoxo

segunda-feira, 14 de junho de 2010

Direto de um tempo...

...que eu era feliz e sabia!


Não sou escravo de ninguém

Ninguém, senhor do meu domínio
Sei o que devo defender
E, por valor eu tenho
E temo o que agora se desfaz.

Viajamos sete léguas
Por entre abismos e florestas
Por Deus nunca me vi tão só
É a própria fé o que destrói
Estes são dias desleais.

Eu sou metal, raio, relâmpago e trovão
Eu sou metal, eu sou o ouro em seu brasão
Eu sou metal, me sabe o sopro do dragão.

Reconheço meu pesar
Quando tudo é traição,
O que venho encontrar
É a virtude em outras mãos.

Minha terra é a terra que é minha
E sempre será
Minha terra tem a lua, tem estrelas
E sempre terá.

II

Quase acreditei na sua promessa
E o que vejo é fome e destruição
Perdi a minha sela e a minha espada
Perdi o meu castelo e minha princesa.

Quase acreditei, quase acreditei

E, por honra, se existir verdade
Existem os tolos e existe o ladrão
E há quem se alimente do que é roubo
Mas vou guardar o meu tesouro
Caso você esteja mentindo.

Olha o sopro do dragão...


III

É a verdade o que assombra
O descaso que condena,
A estupidez, o que destrói
Eu vejo tudo que se foi
E o que não existe mais

Tenho os sentidos já dormentes,
O corpo quer, a alma entende.
Esta é a terra-de-ninguém
Sei que devo resistir
Eu quero a espada em minhas mãos.

Eu sou metal, raio, relâmpago e trovão
Eu sou metal, eu sou o ouro em seu brasão
Eu sou metal, me sabe o sopro do dragão.

Não me entrego sem lutar
Tenho, ainda, coração
Não aprendi a me render
Que caia o inimigo então.


IV

- Tudo passa, tudo passará...

E nossa história não estará pelo avesso
Assim, sem final feliz.
Teremos coisas bonitas pra contar.

E até lá, vamos viver
Temos muito ainda por fazer
Não olhe pra trás
Apenas começamos.

O mundo começa agora
Apenas começamos...

domingo, 6 de junho de 2010

Cultura Inútil - dose semanal necessária!!!!

EU USO FACA, O JOSÉ SERRA.

EU JOGO NA QUINA, O AYRTON SENNA

EU DISSE "MEU DEUS!", O OSWALDO CRUZ.

EU QUERO GUERRA, A BÁRBARA PAZ

EU QUEBRO PRÉDIOS, A TATI QUEBRA BARRACO

EU FALO BONITA, O MIGUEL FALABELA

EU GOSTO DO BATMAN, O LUCIANO HULCK

EU SOU BRASILEIRO, O RENATO RUSSO.

EU NÃO ESTIVE, MAS A ADRIANA ESTEVES

EU GOSTO DO CHAPOLIN, O HUGO CHAVEZ

EU ANDO DE ONIBUS, O JAMES BOND

EU PINTO RETRATO, O JANIO QUADROS

EU BEBO CAFÉ, A CLAUDIA LEITE

EU USO SHAMPOO SEDA, O ÉRIC JOHNSON

EU COMO MAÇÃ, A DANI BANANINHA

EU NÃO FAÇO, MAS A BETH FARIA

O MEU ACORDA TARDE, O SEU MADRUGA

EU GOSTO DE CEREJA, A CAMILA PITANGA

EU GOSTO DE VINHO SUAVE, A DEBORA SECO

EU NÃO QUERIA, MAS A CASSIA KISS

EU ME CASO ANO QUE VEM, A MARJORIE ESTIANO

EU ANDO DE GOL, O DEDÉ SANTANA

EU TORÇO PELO FLAMENGO, A ANA BOTAFOGO

EU JOGO NO VASCO, O SILVIO SANTOS.

EU TENHO CASA PEQUENA, O CARLOS CASAGRANDE.

EU JÁ VI CICLONE, A HILDA FURACÃO E O TONY TORNADO.

EU COMO TORRESMO, O KEVIN BACON

EU QUERIA ME CHAMAR FRANCISCO, O ERASMO CARLOS

EU VENDO XÍCARA, A GLÓRIA PIRES

EU SOU DA CIDADE, O MARTINHO DA VILA

EU SOU DA FLORESTA , A VANESSA DA MATA

O EU USO O TECLADO, O MICKEY MOUSE

EU ESTUDO TUBARÃO, A CLÁUDIA RAIA

EU PEDI CARNE, O FILIPE MASSA

EU GOSTO DO INVERNO, A VERA VERÃO

EU USO BOMBRIL, O BOB ESPONJA

EU CRIO GALINHA, O PAULO COELHO

MEU CABELO É PRETO, O DA BIANCA CASTANHO

EU FUMO, O CELSO PITA
 
 
Ahsuahsuahsauhsauhsau...
Xoxo

sexta-feira, 28 de maio de 2010

Just thinkin'

Quando o dia está cinza assim eu quase posso sentir o gosto gris que vem da chuva...
Se eu fechar um pouco os olhos e pensar em algumas coisas, eu quase posso sentir o gosto.

Algumas lembranças são muito palpáveis...

Tem uma música do Pete Murray, So beautiful ,  que diz: "God, my fingers burn, now when I think of touching your hair...". Sim, meus dedos queimam se eu penso em tocar alguma coisa... dá pra quase sentir a textura da lembrança... o cheiro de certas comidas e ruas; das flores e folhas secas; do mar e da terra molhada; certos perfumes... O frio no rosto após as lágrmas caírem. A dor nas bochechas depois de crises de rir...

Quando as coisas estão assim, eu paro e reflito horas sobre muitas coisas...fico devaniando, curtindo minhas lembranças (depois de um tempo tudo que temos é lembrança), fico pensando em pessoas como a minha vó...

Minha vó tem 91 anos. Lúcida, forte, temperamental. Libriana. Meio portuguesa, meio Italiana.
Minha vó perdeu o único homem que ela amou a 40 anos. Nunca mais casou. Nunca mais quis outro homem (ou mulher, pra registrar! hehe). Até hoje guarda o último vidro do licor que ele fazia pra viajar, como se, se ela botasse fora o licor, ele também fosse ser colocado fora por ela.
Ela olha a foto dele antes de dormir todos os dias. E tenho certeza que ela sente o cheiro dele nas lembranças da vida feliz que tiveram.
Quando ela fala dele, os olhos ainda enchem de lágrimas, e as lembranças são palpáveis, são reais, tão fortes agora quanto a 40 anos atrás.

Quão forte tem que ser uma lembrança pra te fazer sentir o gosto, mesmo 40 anos depois?
Quão forte tem que ser uma lembrança pra fazer teus dedos queimarem quando pensar em tocar tais cabelos, como diz Murray?

**Reorganizando minha vida. Criando novas lembranças.

Xoxo

segunda-feira, 24 de maio de 2010

te amo!

resolvi dizer que eu te amo...

não por que tenha acontecido alguma coisa especial, ou mais especial do que todas até agora...
apenas resolvi dizer que preciso de ti. do teu abraço. do teu carinho ás vezes solitário demais.
até da tua ausência eu preciso, pra sentir mais saudade e aproveitar mais quando nos encontramos.

resolvi dizer que te amo. por que eu amo a quimica que rola no nosso olho no olho. a gente nem mesmo sabe se é por todo o amor ou toda a amizade, só sabe que se entende no olho. e ás vezes nas lágrimas. sim, já rolaram lágrimas, muitas. mas também não vou falar disso. vou falar apenas que eu sinto saudade até quando estou contigo. saudade de nós. saudade do entendimento. saudade das boas risadas.

te amo por que já passamos por tanta coisa juntos...passamos por muitos momentos intensos. alguns envolviam suor. alguns envolviam objetos voando. alguns envolviam silêncio, aquele, que dói como
chibatada. alguns momentos tinham cheiro de primavera. outros, cheiro de temporal. uns me deixaram inebriada, bêbada de satisfação...outros, bem...nem tanto...

resolvi dizer que eu te amo por que depois de anos convivendo, ainda tem coisas de ti que desconheço. e é bom porque sempre gera um ar gostoso de descoberta, como um novo caminho a ser buscado dentro da mesma cabeça...um novo pensamento a ser dito dentro da mesma conversa.

resolvi dizer que eu te amo do jeito que tu és, sem tirar, por ou mudar. sem modificar tuas loucuras, teu gênio de cão, tua personalidade cativante, teu olho que baixa quando tu bebe demais... 

te amo pela risada gostosa. pela gana da brabeza. pela sutileza das lágrimas que rolam quando tu fica triste, molhando meu ombro...

segunda-feira, 17 de maio de 2010

Perfeita!

Vamos celebrar
A estupidez humana
A estupidez de todas as nações
O meu país e sua corja
De assassinos
Covardes, estupradores
E ladrões...

Vamos celebrar
A estupidez do povo
Nossa polícia e televisão
Vamos celebrar nosso governo
E nosso estado que não é nação...

Celebrar a juventude sem escolas
As crianças mortas

Celebrar nossa desunião...

Vamos celebrar Eros e Thanatos
Persephone e Hades
Vamos celebrar nossa tristeza
Vamos celebrar nossa vaidade...

Vamos comemorar como idiotas
A cada fevereiro e feriado
Todos os mortos nas estradas
Os mortos por falta
De hospitais...

Vamos celebrar nossa justiça
A ganância e a difamação
Vamos celebrar os preconceitos
O voto dos analfabetos
Comemorar a água podre
E todos os impostos
Queimadas, mentiras
E seqüestros...

Nosso castelo
De cartas marcadas
O trabalho escravo
Nosso pequeno universo

Toda a hipocrisia
E toda a afetação
Todo roubo e toda indiferença

Vamos celebrar epidemias
É a festa da torcida campeã...

Vamos celebrar a fome
Não ter a quem ouvir
Não se ter a quem amar

Vamos alimentar o que é maldade
Vamos machucar o coração...

Vamos celebrar nossa bandeira
Nosso passado
De absurdos gloriosos
Tudo que é gratuito e feio
Tudo o que é normal

Vamos cantar juntos
O hino nacional
A lágrima é verdadeira

Vamos celebrar nossa saudade
Comemorar a nossa solidão...

Vamos festejar a inveja
A intolerância
A incompreensão

Vamos festejar a violência
E esquecer a nossa gente
Que trabalhou honestamente
A vida inteira
E agora não tem mais
Direito a nada...

Vamos celebrar a aberração
De toda a nossa falta
De bom senso
Nosso descaso por educação

Vamos celebrar o horror
De tudo isto
Com festa, velório e caixão
Tá tudo morto e enterrado agora
Já que também podemos celebrar
A estupidez de quem cantou
Essa canção...

Venha!
Meu coração está com pressa
Quando a esperança está dispersa
Só a verdade me liberta
Chega de maldade e ilusão
Venha!
O amor tem sempre a porta aberta
E vem chegando a primavera
Nosso futuro recomeça
Venha!
Que o que vem é Perfeição!...

...
Ainda em tempo...Happy b`day minha amoooora Tita!!!!!!

quarta-feira, 12 de maio de 2010

Puta que pariu!

Ngm conta que depois de ter filho a paciência aumenta - mas só com a criança.
A paciência com o resto do mundo despenca, sem dó.

Ngm conta que é um saco acordar de madrugada.
Todo mundo insiste em dizer que é ótimo. Não reclamo, mas não é ótimo!

Ngm te diz que é mais difícil do que mencionam.

Os bicos dos peitos doem. A barriga demooooora pra voltar pro lugar. Teu bom humor vai ao chão, em um mergulho profundo. Tu não lembra nem de lavar os cabelos, sorte tem se tomar banho todos os dias!!
Roupa? Pijama! O dia todo!
A casa...credo!
As unhas? melhor nem dizer!

A gente respira fundo e segue em frente.

Ser mãe é padecer em um purgatório de noites não dormidas e dias muitoooo atarefados!

Sim, eu estou amando ser mãe!

E se esse fosse meu papel integral, eu seria mais feliz.
Mas ser mãe, esposa, amiga e filha cansa demais...aaaaah se cansa!

Se fosse só a Laís, seria mais tranquilo. Ela dorme muito (graças a Deus!) e é demais saudável!
Mas daí tem o maridão, meus pais, meus amigos...que tb são importantes e eu tb quero dar suporte e atenção e...porra...não dá tempo!

Uma coisa que dizem que é verdade demais: o estress tá no teto, o tempo no chão...mas quando a criaturinha ri pra ti, não tem preço...

E como eu tava dizendo pra uma das amigas esses dias: "se eu fiquei tanto tempo acordada e bêbada na minha vida, por que não ficar acordada pra minha filhota?"

Apaixonada pela Minhoca!

Xoxo

terça-feira, 4 de maio de 2010

domingo, 25 de abril de 2010

Os geeks também amam...

Eu e minhas olheiras, nos períodos em que minha preciosa minhoca dorme, ficamos assim, devaniando sobre as coisas...

Daí esses dias estava eu vegetando na frente da TV quando encontrei um programa na tv a cabo que me fez dar muita risada: Os Geeks e as Gostosas.

É um reality show onde 05 duplas formadas por meninos nerds (e feios, muito feios!) e meninas gostosas (e burras, muito burras!) tem que conviver, se dar bem e disputar algumas coisas inusitadas. Umas das duplas é eliminada a cada dois ou três programas.

Daí lá pelas tantas um dos carinhas sempre se apaixona pela loira-peituda-gostosa e ela, claro, sempre retribui por que, afinal, descobre  que o cérebro dele não é de silicone e que beleza interna importa mais que externa...bla bla bla...

Nesse que eu assisti, eles tinham que aprender a dançar... e elas tinham que aprender tudo sobre vinhos e, mais, fazer uma apresentação a respeito pros jurados.

Caaaaaaaaraaaaa... que coisa mais horrível!

Os caras totalmente descoordenados... e as meninas muito mentalmente afetadas... credo!
Meninos chorando por (?) amor e meninos chorando por rejeição...

Olha, um bom programa pastel para assistir nos intervalos das mamadas!

xoxo

sexta-feira, 16 de abril de 2010

Momento rabugenta I...

eu gostaria de viver em um mundo diferente.
não diferente da minha vida, mas de uma outra forma, com uma outra conotação e uma outra conexão entre seres habitantes do mesmo espaço.
me deprime a idéa de que estamos caminhando lentamente para um apocalipse imaginário, um céu x inferno que não podemos evitar; ou então para algum desastre natural que nos tirará a fonte de sustento físico; ou então para o pior dos pesadelos humanos: uma hipocrisia generalizada que nos impedirá de ser, no mínimo, coerentes para com os outros...

não me encaixa na 'caixola' que certas coisas são como são por que elas simplesmente são...apesar de eu, eu mesma, constantemente dizer que devemos "nos resignar" com as agruras que a vida manda...
ah, pro inferno com essa resignação! temos nada...

mas daí...como não dar a outra face ao tapa ao percebermos o tamanho da ignorância de quem nos bate? seríamos nós mais culpados ainda por revidar em alguém cujo ostracismo faz parte da vida e a ignorância é sua base de vivência? não nos sentiríamos mais ainda em dívida, com deus ou o diabo, por rebater e debater e discutir com seres humanos que, apesar de dotados de TUDO que um ser pode querer para ser racional - cérebro, adaptabilidade, capacidade cognitiva, ser bípede! - ainda assim não conseguem desenvolver um simples e direto discurso lógico?

tá, to no  bite' da questão...um tanto quanto filosófica pra uma sexta-feira à noite... um tanto pós-parto, um tanto dolorida fisicamente e psicológicamente e mentalmente... não sei nem exatamente porque estou assim, mas sei que estou, e sei que não vou gostar quando me der conta do que se trata.

gostaria que meu mundo fosse diferente, mas dentro da mesma vida, sabe?
eu mudaria facilmente uma série de coisinhas que eu definitivamente não gosto e não vou gostar nunca.
eu jogaria pro alto várias pessoas de forma definitva.
eu gostaria de poder gritar e botar pra fora toda essa raiva que eu tô sentindo, bater em algumas caras, chutar algumas canelas, pegar a minha princesa e desaparecer...

é. acho que a terapia está me fazendo falta.

xoxo

domingo, 11 de abril de 2010

30* Encontro a Família Ennes

Pois as surpresas pós maternidade não param...

Sim, depois de uns 05 anos de ausência proposital, ontem fomos, eu, Leandro e Laís ao encontro da Família da minha vó, em Poa.
Ok, não é o melhoooor programa do mundo, considerando que as pessoas são bem mais velhas, mas tu estar no meio dos teus é sempre bom.

É bom sentir que os laços ainda são fortes; que as afinidades ainda existem; que as pessoas ainda falam a mesma língua; que a sintonia ainda continua, apesar da distância.

Foi bom rever os primos e os tios... Foi bom sentir essa (re)conexão.
Bom saber que família é família. Não importa de que jeito torto ela seja, ela é e sempre será parte de nós...

xoxo

quinta-feira, 8 de abril de 2010

Missão

A missão de ser mãe quase sempre começa com alguns meses de muito enjôo, seguido por anseios incontroláveis por comidas estranhas, aumento de peso, dores na coluna, o aprimoramento da arte de arrumar travesseiros preenchendo espaços entre o volume da barriga e o resto da cama.
Ser mãe é não esquecer a emoção do primeiro movimento do bebezinho dentro da barriga.
O instante maravilhoso em que ele se materializou ante os seus olhos, a boquinha sugando o leite, com vontade, e o primeiro sorriso de reconhecimento.
Ser mãe é ficar noites sem dormir, é sofrer com as cólicas do bebê e se angustiar com os choros inexplicáveis: será dor de ouvido, fralda molhada, fome, desejo de colo?
É a inquietação com os resfriados, pânico com a ameaça de pneumonia, coração partido com a tristeza causada pela morte do bichinho de estimação do pequerrucho.
Ser mãe é ajudar o filho a largar a chupeta e a mamadeira. É levá-lo para a escola e segurar suas mãos na hora da vacina.
Ser mãe é se deslumbrar em ver o filho se revelando em suas características únicas, é observar suas descobertas.
Sentir sua mãozinha procurando a proteção da sua, o corpinho se aconchegando debaixo dos cobertores.
É assistir aos avanços, sorrir com as vitórias e ampará-lo nas pequenas derrotas. É ouvir as confidências.
Ser mãe é ler sobre uma tragédia no jornal e se perguntar: E se tivesse sido meu filho?
E ante fotos de crianças famintas, se perguntar se pode haver dor maior do que ver um filho morrer de fome.
Ser mãe é descobrir que se pode amar ainda mais um homem ao vê-lo passar talco, cuidadosamente, no bebê ou ao observá-lo sentado no chão, brincando com o filho.
É se apaixonar de novo pelo marido, mas por razões que antes de ser mãe consideraria muito pouco românticas.
É sentir-se invadir de felicidade ante o milagre que é uma criança dando seus primeiros passos, conseguindo expressar toscamente em palavras seus sentimentos, juntando as letras numa frase.
Ser mãe é se inundar de alegria ao ouvir uma gargalhadinha gostosa, ao ver o filho acertando a bola no gol ou mergulhando corajosamente do trampolim mais alto.
Ser mãe é descobrir que, por mais sofisticada que se possa ser, por mais elegante, um grito aflito de mamãe a faz derrubar o suflê ou o cristal mais fino, sem a menor hesitação.
Ser mãe é descobrir que sua vida tem menos valor depois que chega o bebê.
Que se deseja sacrificar a vida para poupar a do filho, mas ao mesmo tempo deseja viver mais – não para realizar os seus sonhos, mas para ver a criança realizar os dela.
É ouvir o filho falar da primeira namorada, da primeira decepção e quase morrer de apreensão na primeira vez que ele se aventurar ao volante de um carro.
É ficar acordada de noite, imaginando mil coisas, até ouvir o barulho da chave na fechadura da porta e os passos do jovem, ecoando portas adentro do lar.
Finalmente, é se inundar de gratidão por tudo que se recebe e se aprende com o filho, pelo crescimento que ele proporciona, pela alegria profunda que ele dá.
Ser mãe é aguardar o momento de ser avó, para renovar as etapas da emoção, numa dimensão diferente de doçura e entendimento.
É estreitar nos braços o filho do filho e descobrir no rostinho minúsculo, os traços maravilhosos do bem mais precioso que lhe foi confiado ao coração: um Espírito imortal vestido nas carnes de seu filho.


Estou loucaaaa de amor pela minha filha!

segunda-feira, 5 de abril de 2010

Feliz Páscoa e tudo mais...

Bem, é claro que serei desculpada, afinal, na Páscoa, eu estava no início da recuperação da minha cesárea...

O parto foi ótimo, e a Laisinha já está presente entre nós, tornando nossas vidas divertidas noites em claro e um mundo de novas descobertas...

Nunca achei de fato que fosse me sentir assim, tão boba de amor que mal consigo falar...
Posso ficar horas olhando pra ela, em total admiração e amor!
E apesar das dores nos pontos e nos peitos, nada, NA-DA se compara àquela cara linda acordando e se espreguiçando...

O coelhinho foi generoso, trazendo uma filkha perfeita e, claro, um ovo sensação da Nestlé, que eu não vivo sem... quase morriiiii comendo, apesar dos apelos das amigas dizendo que daria cólica na Laís... Acho que ela vai ser chocólatra tb, por que além de não dar cólica...ela mama mais quando eu como chocolate! hehehe

Enfim, tentando organizar uma rotina com a chegada da nova integrante da família...a casa aquela bagunça...coisas de nenê por todos os lugares e aquele cheiro de bebê johnson pela casa...

Sem preço!

Xoxo