quarta-feira, 15 de outubro de 2008

Sem medo...mas com cautela!

"Temer o amor é temer a vida e os que temem a vida já estão meio mortos..."

Não "meio-morro" há algum tempo. Dei tantas voltas procurando me encontrar que acabei tonta e mais perdida! Enfim, quando algumas pessoas me perguntam "mas de novo...pra quê!?", a minha resposta é, além da levantada básica na sombrancelha esquerda e do sorrisinho sarcástico, um "por que SIM!" bem grande.
Sempre que nos machucamos, de qualquer forma, tendemos a não mais adotar tal comportamento. Afinal, pra que, de novo? Pelo simples prazer de fazer dar certo... Tem algo mais prazeirosamente desconcertante que tu conseguir inverter um placar destinado, talvez, ao fracasso e lamúria?
Enfim (de novo, por que adoro os "enfins"), escolhi me dar de presente uma deliciosa chance de ser feliz e levantar da tumba dos meio-mortos. Escolhi viver e vivendo, amar e amando, rir e chorar, e chorando aprendendo a amar mais - eu e os outros. Escolhi me entregar à vida e dar à vida o que é da vida (como de César e toda aquela história) e guardar o que é meu.
Escolhi ser eu e ser feliz assim. Escolhi fazer da vida uma comédia, pq de drama se formam as rugas...
Escolhi TU pra ser feliz comigo, por mim e pra mim. E a recíproca...hum...verdadeiríssima!

2 comentários:

Euzinha disse...

Arrepiou TODOS os pêlos do meu corpo...
Estarei lá! De novo! Com as mesmas frases de impacto (se ela chorar por tua causa bla bla bla) e, talvez, com o mesmo teor etílico.

Civinhal disse...

Rekaaaaa! ai, menina que vontade que tenho de cair pra essas bandas do sul pra gente se ver de novo, conversar horrooooores, beber um bocado e rir um pouco mais!
Amei o que vc escreveu, não sei qual o objeto real, mas amei. Ainda haveremos de nos ver de novo nessa vida hein? de preferência no hemisfério de cá =)
Beijos!