terça-feira, 14 de outubro de 2008

Em tudo, ao meu amor, serei atento...

Antes, e com tal zelo, e sempre, e tanto
Que mesmo em face do maior encanto
Dele se encante mais meu pensamento
Quero vive-lo em cada vão momento
E em seu louvour hei de espalhar meu canto
E rir seu riso e derramar seu pranto
Ao seu pesar ou seu contentamento
E assim, quando mais tarde me procure
Quem sabe a morte, fim de quem vive
Quem sabe a solidão, fim de quem ama
Eu possa me do amor (que tive)
Que não seja imortal, posto que é chama
Mas que seja infinito enquanto dure.

É assim que começo...dizendo aos borbotões que meu coração, vísceras, alma, corpo, pensamentos tem um dono que cuida - e bem - de mim...um dono que me domina com a sutil delicadeza de seu toque e adentra minh'alma pelos olhos...

Te amo Leandro...Hoje, há 09 meses...

2 comentários:

Mari Schmidt disse...

Uiiii.... sucesso gatam!!!

Você quer?!

Hhehehehe...

Bjos

Euzinha disse...

Seja bem vinda, gataaaaaaa!

Os parabéns eu dei ontem...
Beijo