segunda-feira, 3 de agosto de 2009

Diga NÃO!

Em conversa com alguém muito especial, que é vítima de uma coisa super comum que é a Ingratidão alheia, me dei conta de que dizer não é tão difícil.
Eu vi o sofrimento dela, em fazer várias coisas com o coração aberto e ter suas atitudes julgadas pelo excesso de carinho ou falta do mesmo.
"Se fazemos demais, trouxa. Se fazemos de menos, egoísta".
E então me lembrei de um termo próprio que eu gosto muito: Eu não me estupro emocionalmente.
Eu não me faço sofrer de propósito. Eu não invisto em relações doentias. Eu não incentivo às pessoas a me maltratrem. Eu não aceito nada a não ser a felicidade. Eu não me estupro emocionalmente.
O estupro emocional acontece quando começamos a ceder um pouco para fazer outra pessoa mais feliz. Daí a pouco cedemos mais um pouco. E mais...até que para fazê-las felizes, é necessária a nossa infelicidade. E quando não damos, as pessoas nos tomam. E então acontece...
Pouco temos controle sobre nossas ações, passamos a precisar do bem que fazemos a elas, a não se dar conta de que estamos nos machucando...
Eu aprendi a dizer Não. Porque dizer não é bom também.
Porque ás vezes, dizer não aos outros significa dizer sim às nossas vontades.
Aah...e dizer sim à nós mesmas é tudo de bom!

3 comentários:

Carla disse...

Concordo! É a tal história: em caso de sobrevivência, "primeiro coloque a máscara de oxigênio em você, para depois auxiliar quem está ao lado".
Que necessidade absurda de sermos amados a qualquer custo...
DIGA NÃO AOS VAMPIROS EMOCIONAIS!!

Paula disse...

É... é verdade!! Eu infelizmente ainda não aprendi a dizer não pras pessoas!! E quando vejo, tô cgorando, tô sofrendo, tô me incomodando!! Mas tudo bem... tô fazendo terapia e isso vai mudar!! hehehehe bjs

disse...

E depois que aprendemos que dizendo NÃO damos um voto de felicidade pra nós mesmos, o que pareceria uma falta de educação se torna um doce alívio!
Ai, saudade de ti já!
Qdo se começa a ver as pessoinhas com mais frequencia a saudade, na real, aumenta ainda mais...
Amo tu florebela... ou melhor vocês, tu e a sementoca!